Rapa Nui, o projeto que pode limpar os oceanos! Tecnologia

Os nossos oceanos estão cada vez mais sofrendo com a poluição. São toneladas e mais toneladas de lixo que acabam nas águas, e que demoram, a maioria das vezes, muito tempo para se degradar. As sacolas plásticas, por exemplo, muito usadas e também muito jogadas nos rios, mares, etc, demoram 500 anos para se misturar ao ambiente novamente.

Toda essa situação vem matando os oceanos e, consequentemente, a Terra aos poucos, mas isso pode mudar caso o projeto Rapa Nui, de Cristian Ehrmantraut, entre em vigor e realmente funcione. O sistema é ainda um protótipo, mas é basicamente uma plataforma flutuante que faz a filtragem do oceano e coleta qualquer tipo de plástico.

diálise-oceânica-01

No momento esse protótipo está localizado nas proximidades da Ilha de Páscoa à 4 km, para ser mais específico, no Pacífico Sul, onde há um mega vórtice que acaba recolhendo plástico pela sua força. Há mais 5 desses vórtices espelhados pela imensidão oceânica, que acabam sendo uma grande e eficiente máquina que junta todo tipo de entulho flutuante que passa nas proximidades, e por isso seriam os locais perfeitos para instalar outras máquinas desse tipo. O sistema se auto-alimenta e também produz energia limpa, já que está sempre sob raios solares. A reutilização desse material também pode ajudar a manter a plataforma.

diálise-oceânica-02

A ideia do arquiteto é, a partir de um projeto, informar aos habitantes a situação da natureza e mostrar como a cultura do desperdício, tendo como principal agente o plástico em suas diversas maneiras, pode acabar com a vida aos poucos.

E o plástico não pode simplesmente ser retirado de nossa vida, ele é praticamente essencial e vem sendo utilizado das mais variadas formas e para todo o tipo de necessidade desde os anos 60. Somos dependentes, e a natureza também depende de uma maneira mais correta de despejá-lo. Sendo um material barato, porém biodegradável em 500 anos, acaba sendo usado em grande quantidade e se acumulando na terra.

Loja Construir

diálise-oceânica-05

E como aconteceria essa limpeza geral se a grande máquina fica parada? É simples, pois além de ser um local que naturalmente puxa a água, há também o movimento das ondas e das correntes marítimas, que levam os resíduos de um continente ao outro com grande facilidade e naturalmente. Se fossem instalados nos 6 vórtices, toda, ou pelo menos grande parte da área marítima seriam filtrados.

A autossuficiência energética se dá em dois momentos. O primeiro é na utilização de placas fotovoltaicas por toda a sua parte externa, recolhendo e alimentando as funções básicas da máquina. A segunda maneira é utilizando as ondas como fonte de gerar energia. Como apareceu a possibilidade de seres vivos serem também levados pela máquina, ela usa ondas para separar o que é vivo e o que é inerte, descartando o primeiro. Com o movimento das ondas marítimas batendo ali é que a energia é criada.

Aparentemente essa é a maneira mais ideal de corrigir os erros que nós, humanos, fazemos com a Terra há tanto tempo. A localização é estratégica, o mar ajuda, e a tecnologia funciona. Vamos esperar e ver se realmente teremos, em breve, oceanos livres de tantas impurezas.

diálise-oceânica-03 diálise-oceânica-04

Fonte: Archdaily

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Loja Construir
Rapa Nui, o projeto que pode limpar os oceanos!
0 votes, 0.00 avg. rating (0% score)

Tenho 18 anos e sou estudante de Engenharia Civil da Univix – Faculdade Brasileira, em Vitória, Espírito Santo.